Trabalhos Para Casa: Sim ou Não?

É um assunto polémico debatido entre pais, professores, alunos e demais players da educação. Na Finlândia, um bom exemplo de modelo de pedagógico, defendem que os trabalhos da escola são para ser feitos na escola. Por cá, os TPC ainda são prática dominante.

Trabalhos Para Casa: Sim ou Não?
   31 de agosto, 2017
   Vânia Rodrigues
   Educação

Cada vez mais, há uma divisão entre aqueles que apoiam a necessidade dos TPC e aqueles que sugerem que o tempo pós-escolar deveria ser investido a brincar ao ar livre, a estabelecer relações com a família, a conhecer outros ambientes para além dos muros da escola.

Se por um lado existem defensores da ideia de que é pondo em prática o que aprenderam em sala de aula e fazendo exercícios de repetição que os alunos constroem conhecimento e adquirem métodos de trabalho. Por outro, há quem defenda que é preciso tempo para brincar pois, é durante esse período que as crianças dão asas à imaginação e à criatividade, pondo em prática o que aprenderam na escola. Desta forma, os alunos processam a informação de forma relevante para o mundo e transferem o conhecimento para novas situações.

 

O que nos dizem os estudos mais recentes?

 

Recentemente os estudos relacionados com a temática defendem a tese de que os TPC realizados de forma metódica e repetitiva, alargam o fosso existente entre a escola e a casa (pais), da mesma forma que não estimulam o gosto pela aprendizagem e tão pouco induzem o sucesso académico dos alunos.

 

No caso dos TPC no 1.º Ciclo do Ensino Básico, são já muitos os estudos que comprovam que, nos moldes em que são concebidos (serem de repetição e em doses abusivas), estes trabalhos não têm impacto positivo no processo de ensino-aprendizagem da maioria dos alunos.

Como tal, os TPC que podem ter algum impacto positivo na aprendizagem dos alunos não devem ter caráter de consolidação. Em vez disso, devem permitir aos alunos que encontrem situações reais onde possam aplicar o seu conhecimento, como por exemplo, uma ida ao supermercado, com uma lista, onde o aluno deverá implicar as suas competências no âmbito do raciocínio lógico-matemático (dinheiro; troco; contagens,....).

 

Foto de Maria Moita.

 

Trabalhos de casa? Sim.


- É treinando e fazendo tarefas de repetição que os alunos memorizam informação relevante

- TPC diários promovem um maior ritmo de trabalho e responsabilizam os alunos pelas suas aprendizagens

- Conferem autonomia aos alunos para relfetirem sobre as suas aprendizagens e gerirem o seu tempo, em casa



Trabalhos de casa? Não.

- As crianças precisam de tempo para brincar, os trabalhos de casa “roubam-lhes” esse tempo e aumentam o seu stress

- Os TPC (enquadrados nos métodos de ensino tradicionais), constroem barreiras contra a escola

- Nada contribuem para o desenvolvimento da criatividade e da imaginação

- Sem impacto positivo nas aprendizagens dos alunos

 

“Não há nenhuma criança no Mundo que aprenda a ser inteligente com trabalhos para casa.” - Eduardo Sá

 

E para si? Os TPC devem ou não existir?

Ler Mais